logoSintesp

SINDICATO DOS TÉCNICOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO NO ESTADO DE SÃO PAULO


Ética, competência, dignidade e compromisso com a categoria


Bem-vindo, terça-feira, 16 de outubro de 2018.

Logo Fenatest Logo Força Sindical
28/09/2018

Eleições 2018, quais impactos positivos trará para nós, trabalhadores?


Mais uma vez estamos às vésperas de uma eleição, uma das mais conturbadas dos últimos tempos, pois boa parte da população brasileira ainda não definiu em quem vai votar para presidente, implicando desta maneira em escolhas não muito sábias, incorrendo no risco de assinar um cheque em branco para quem vai fazer a gestão do seu futuro e do país de forma atabalhoada, por longos quatro anos.

 

Pela importância do assunto, precisamos avaliar o comportamento de alguns candidatos, principalmente aqueles à reeleição, se suas promessas anteriores foram cumpridas ou apenas ficaram no discurso.

 

Quantos de nós se preocuparam em avaliar se no desenvolvimento da profissão primária do candidato, por exemplo, um médico, seu desempenho foi a contento, com responsabilidade, ética e comprometimento?

 

Lembrando um velho ditado bíblico, “quem não é fiel no pouco, dificilmente será no muito”, principalmente quando se trata de administrar os recursos alheios.
Devemos observar também o histórico pessoal do candidato no quesito de Justiça, se não há nada que o desabone em casos de processos de corrupção, malversação de verbas públicas, entre outros aspectos.

 

Outro ponto a considerar é quanto a sua plataforma de trabalho, para que se possa avaliar e cobrar o seu cumprimento no transcorrer do mandato.
Nós, que fazemos parte do mundo da segurança e saúde dos trabalhadores, precisamos ficar antenados com o perfil daqueles que vamos eleger.

 

O candidato, ao ser solicitado para defender algum projeto de interesse coletivo deu a devida atenção, se empenhou para alcançar o objetivo almejado ou simplesmente acenou positivamente e posteriormente engavetou o que foi solicitado?

 

Quantos desses projetos importantes não foram aprovados em meio a grandes lutas e mesmo sinalizando melhorias no mundo da prevenção, como foi o caso do Plansat - Plano Nacional de Segurança e Saúde no Trabalho, que caiu no esquecimento, está adormecido em berço esplêndido.

 

Observo com profunda tristeza e até vergonha, que nos tem faltado visão estratégica, para procurar quem de fato nos defenda com conhecimento de causa, com o DNA prevencionista, que não tenha medo de encarar cenários adversos, que seja persistente e que, com coragem e determinação, argumente e convença seus pares da importância do projeto apresentado.

 

A categoria dos Técnicos em Segurança no Trabalho tem que assumir esta bandeira como sinônimo de sobrevivência, criando um lobby dos candidatos que defendem e lutam pelos mesmos princípios, do contrário podemos estar com nossos dias contados, pois aqueles que ainda não aprenderam a liderar tem tudo para num futuro muito próximo, serem liderados...

 

Sebastião Ferreira da Silva
Secretário geral



Voltar para Editoriais