logoSintesp

SINDICATO DOS TÉCNICOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO NO ESTADO DE SÃO PAULO


Ética, competência, dignidade e compromisso com a categoria



Fone: (11) 3362-1104/ Whatsapp: (11) 9-4732-2406

Bem-vindo, sábado, 24 de agosto de 2019.

Logo Fenatest Logo Força Sindical
10/07/2019

Reduzir em 90% as NRs ? Uma piada de mau gosto


A pretensão de revogação de 90% das normas de segurança do trabalho, equivale a “QUERER MATAR O DOENTE PARA CURAR A DOENÇA”.

 


Mais uma vez, estamos à beira de um desmonte nas questões de segurança e saúde no trabalho. Não é de hoje que os representantes patronais investem contra as legislações tanto trabalhista quanto prevencionista, jogando pesado contra a massa trabalhadora tentando retirar direitos conquistados com muita luta e muito suor pelo movimento sindical brasileiro. Também pudera, o poder do capital é muito forte, pois com todos os artifícios que dispõem a seu favor, podendo, com isto, admitir e demitir trabalhadores quando quiserem e, sendo assim, pressionam de forma até mesmo cruel, principalmente quando chegamos ao ponto onde estamos, que é, sem dúvida alguma, a falta de empregos.

 

Com esses argumentos utilizados pelo capital, hoje estamos as vésperas de um total desmonte de uma das principais ferramentas que foram utilizadas para a redução drástica dos acidentes de trabalho em que nosso país se encontrava, pois éramos, nos anos 70, o País que mais acidentava trabalhadores, tendo, inclusive, a interferência de órgãos internacionais para que se implantasse medidas para a redução destes acidentes, dando origem ao nosso modelo de SESMT.

 


Ao longo dessas quatro décadas, este modelo implantado que está sendo desqualificado atualmente com discursos populistas, reduziu-se de 17 para 2% da massa trabalhadora acidentada, configurando como possível maior avanço nas relações do trabalho que se conhece, apesar de ainda sermos o quarto pior país do mundo em acidentes e doenças do trabalho, o que sinaliza a necessidade de modernização e evolução constante das ações preventivas.

 

 


Neste momento, as comunidades prevencionistas e os bons empregadores sabem perfeitamente DE ONDE VIEMOS, E PARA ONDE QUEREMOS IR, o que não justifica tomadas de posição de tamanha importância por "paraquedistas" DE PLANTÃO, BANALIZANDO a VIDA e SAÚDE de milhares de trabalhadores, que são a razão da construção das riquezas tão defendidas pelos capitalistas.

 


Portanto, a desregulamentação representa um retrocesso injustificado “não devemos permitir a morte de trabalhadores com a morte das normas regulamentadoras de segurança e saúde no trabalho”.



Voltar para Editoriais