logoSintesp

SINDICATO DOS TÉCNICOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO NO ESTADO DE SÃO PAULO


Ética, competência, dignidade e compromisso com a categoria


Bem-vindo, terça-feira, 16 de outubro de 2018.

Logo Fenatest Logo Força Sindical
13/08/2018

O mundo da - Prevenção - tem que acordar para o mundo - político -


 

Chegou o momento !!!

 

Estamos às vésperas de uma eleição e muitos dos brasileiros ainda estão totalmente indefinidos quanto ao nome para presidente da república.

 

Se questionarmos os indecisos, teremos muitas respostas diferentes como “é corrupto”, “tem ideias retrógadas”, “não simpatizo com suas propostas”, “não pensei no assunto...”

 

Qual o risco desse posicionamento, de “deixar como está para ver como é que fica?”.

 

O povo brasileiro vem passando por uma onda de desconfiança, de sobressaltos, medos e incertezas que já não se interessa em pensar, ponderar, avaliar os prós e contras do que estão nos oferecendo, preferindo assinar, sem questionar, um cheque em branco para aquele que vai administrar, social e economicamente, sua vida e de seus familiares por quatro anos.

 

Para outros, chegou a hora da desforra, anular o voto, promover uma devassa nos mentores da corrupção do país, o que não passa de um ledo engano, pois isso não existe, muito pelo contrário, favorece a continuidade do mal, pois se o “dito cujo” necessitasse de milhões de votos para ser eleito, dependendo desta ação, poderá ser empossado com milhares.

 

Quantos acompanham debates, fazem uma análise crítica do candidato, comparam com opiniões de pessoas sensatas, procuram a fundo se o que está sendo proposto é real ou não passa de mentira com nova roupagem?     

 

No mundo da prevenção, o quanto esta realidade impactará diretamente o Técnico de Segurança do Trabalho?

 

Em tudo, porque não priorizamos representantes com DNA prevencionista, que defendam com conhecimento de causa as nossas bandeiras de luta.

 

Em 2012, com apublicação do Plansat - Plano Nacional de Segurança e Saúde no Trabalho imaginamos o início de uma Era iluminada com uma política definida, valorizando, sobremaneira, o trabalho de todos que militam na área da segurança e saúde dos trabalhadores, principalmente por que havia o respaldo dos principais atores do momento, como os Ministérios do Trabalho e Emprego, Previdência Social e da Saúde.

 

Mas o sonho foi engavetado e um dos principais pés desse tripé, o MTE, com quem os profissionais TST tanto se envolvem, está fadado a ser “cupinisado” o mais rápido possível, desaparecendo do mapa, virando pó, haja vista a sinalização, por parte do governo federal, de uma profunda restruturação, fundindo o MTE com a Previdência Social.

 

Se não bastasse tudo isso, a reforma trabalhista veio como um grande divisor de águas nivelando por baixo e jogando na vala comum todos os sindicatos, sejam bons ou ruins, ação que foi devidamente referendada pelo STF, calando a voz daqueles que defendem os trabalhadores, pois é uma grande utopia imaginar que um grupo de funcionários da mesma empresa possa reivindicar direitos junto ao empregador, sem o acompanhamento sindical.

 

Enquanto os sindicatos são silenciados e asfixiados sem recursos, o governo libera por decreto mais de R$ 16 bilhões para o Sistema “S”, fortalecendo o segmento patronal.

 

Então, vamos realinhar nossas forças e pensar grande do tamanho do Brasil, pois este é o momento, está em nossas mãos a oportunidade de separar o joio do trigo.

 

Não dá para aceitar mais a Teoria do Gerson “daqueles que apenas querem saber levar vantagem, certo?”, legislando em causa própria em detrimento da coletividade, das promessas, os que “roubam, mas fazem”, pois somos muito mais que tudo isso.

 

Chegou o momento do resgate da ética, dos valores, dos bons costumes, através do voto e do veto, isolando aqueles que zombam da nossa capacidade de discernimento do que é certo ou errado.

 

Sebastião Ferreira

1º Secretário SINTESP



Voltar para Editoriais