logoSintesp

SINDICATO DOS TÉCNICOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO NO ESTADO DE SÃO PAULO


Ética, competência, dignidade e compromisso com a categoria


Bem-vindo, segunda-feira, 23 de outubro de 2017.

Logo Fenatest Logo Força Sindical
05/09/2013

SST e Nanotecnologia


Em 26/04/2013, o Sindicato dos Metalúrgicos realizou o seminário Nanotecnologia, convidando para a discussão do tema, trabalhadores metalúrgicos e Técnicos de Segurança do Trabalho, em atividade nas empresas metalúrgicas. Pela sua importância, o tema voltou a ser tratado nos dias 28, 29 e 30 de agosto, durante o 13º Encimesp – Encontro de Cipeiros Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes, que priorizou a discussão de cláusulas da convenção coletiva de trabalho e, dentre elas, uma específica sobre nanotecnologia. Para falar sobre o assunto, o Sindicato teve a importante colaboração da Dra. Arline Sydnéia Abel Arcuri, pesquisadora da Fundacentro, nas duas participações.

 

Dentre a última palestra da Dra. Arline destacamos alguns pontos interessantes:

 

Nanociência e nanotecnologia
Alguns autores distinguem: a nanociência corresponderia a fase da pesquisa que visa entender o comportamento da matéria na escala nanométrica e seus efeitos e suas influências nas propriedades dos materiais. A nanotecnologia exploraria estes efeitos para criar estruturas, equipamentos e sistemas com novas propriedades e funcionalidades e com isto produzir coisas passíveis de comercialização.

 

O que é nanotecnologia?
Há várias definições de nanotecnologia. Uma delas considera a nanotecnologia como o desenvolvimento da pesquisa e a tecnologia em nível atômico, molecular e macromolecular, em um escala de aproximadamente 1-100 nanômetros, para a produção de conhecimentos fundamentais dos fenômenos e dos materiais em nanoescala, com isto possibilitando a criação e o uso de estruturas, dispositivos e sistemas com novas propriedades e funções devido a estes tamanhos. A nanotecnologia é justamente o desenvolvimento da pesquisa e a tecnologia que envolve a manipulação da matéria numa escala atômica e molecular.

 

Nanômetro
Para entendermos melhor o que é nanômetro, a palestrante comparou a unidade de medida ao metro, que é igual a 1 bilhão de nanômetros. O menor objeto que podemos ver com um “microscópio óptico” é de cerca 500 nanômetros. Assim, vírus que medem menos de 500nm ou nanopartículas na escala de 1 a 100 nanômetros só podem ser vistas com auxilio de microscópios eletrônicos especiais.

 

Nanotecnologia ou Nanotecnologias?
Existem várias “nanotecnologias”. As tecnologias que manipulam materiais em tamanho nano são diferentes dependendo do campo de aplicação: medicina, condutores, informática, etc.


O que todas tem em comum é que envolvem o estudo e a manipulação da matéria em uma escala muito pequena, geralmente da ordem de 1 a 100 nanômetros.

 

O que é Nanotecnologia?
Há várias definições de nanotecnologia. Uma delas considera a nanotecnologia como o desenvolvimento da pesquisa e a tecnologia em nível atômico, molecular e macromolecular, em um escala de aproximadamente 1-100 nanômetros, para a produção de conhecimentos fundamentais dos fenômenos e dos materiais em nanoescala, com isto possibilitando a criação e o uso de estruturas, dispositivos e sistemas com novas propriedades e funções devido a estes tamanhos. A nanotecnologia é justamente o desenvolvimento da pesquisa e a tecnologia que envolve a manipulação da matéria numa escala atômica e molecular.

 

Importância do tamanho
Outra razão para as substâncias mudarem de comportamento é o fato de que na medida em que a matéria é reduzida à escala nanométrica as suas propriedades começam a ser dominadas por efeitos quânticos. Apenas com a redução de tamanho e sem alteração de substância, verifica-se que os materiais apresentam novas propriedades e características.


Características básicas dos nanomateriais
Alteração de propriedades pode incluir mudança de: cor, solubilidade, resistência do material, condutividade elétrica, comportamento magnético, mobilidade (no corpo humano e no ambiente), propriedades físico químicas como ponto de fusão, reatividade química e atividade biológica, entre outras alterações. Tudo isto vai depender das características das nanopartículas.


Além do tamanho
O carbono, na forma de grafite é maleável, mas em escala nano, na forma de nanotubo, é quase 100 vezes mais resistente que o aço e até seis vezes mais leve. Na forma de grafeno, fina folha de átomos de carbono, se comparada ao aço, ela é seis vezes mais leves, cinco a seis vezes menos densas, duas vezes mais duras, possui 10 vezes mais resistência à tensão e 13 vezes maior rigidez à flexão.

 

Importância do tamanho
Um material “seguro” para ser manuseado em tamanho maior, pode facilmente penetrar na pele na forma de nanopartííula ou se tornar um aerossol e entrar no organismo via respiratória. A maior reatividade devido a grande área superficial e aos efeitos quânticos que alteram as características físicas e químicas das nanopartículas, podem também, provocar consequências não pretendidas (e até desconhecidas) quando elas entram em contato com o organismo humano ou mesmo outros sistemas biológicos.

 

Nanomateriais: quem são eles?
Todos os materiais convencionais, tais como metais, semicondutores, vidro, cerâmica ou polímeros, podem, em princípio, ser obtidos em dimensão de nano escala. O que mais preocupa sob os aspectos de SST e meio ambiente são as nanopartículas.


Impactos á Saúde dos Trabalhadores
É conhecido que os efeitos toxicológicos das partículas ultrafinas são muito mais severos conforme diminui o seu tamanho, mas, pouco é conhecido sobre o mecanismo pela qual as partículas extremamente pequenas migram para dentro do corpo e se acumula em tecidos e órgãos. Estudos epidemiológicos mostram uma correlação significativa entre a mortalidade devido a doenças cardiorrespiratórias e a concentração de partículas de dimensões nanométricas presentes em situações de poluição do ar. Em dias de greve do metrô há um aumento dos atendimentos nos hospitais por problemas respiratórios.

 

Dra. Arline citou como o primeiro caso ocupacional divulgado que, sete jovens chinesas sofreram danos permanentes aos pulmões e duas delas morreram depois de trabalhar durante meses, sem proteção, numa fábrica que tintas que usava nanopartículas, informam cientistas chineses. Eles afirmam que o seu estudo é o primeiro a documentar malefícios causados por nanotecnologia na saúde humana. Testes com animais já haviam mostrado o risco das nanopartículas para os pulmões de ratos. (A notícia é do portal do jornal O Estado de S. Paulo, 19-08-2009).


Aplicações da Nanotecnologia
A nanotecnologia tem aplicações nos mais variados ramos econômicos, sociais, da saúde, comerciais, militares, de comunicação e outros.

 

Em resumo, podemos citar: embalagens, produtos esportivos, nanomedicina, odontologia, produção e distribuição de energia, indústria alimentícia, aeroespaciais, cosméticos, aumento de produtividade agrícola, comércio, tratamento de água e remediação do solo, defesa e guerra, metalurgia, produtos químicos diversos (colas, tintas, catalisadores), telecomunicação, tecnologia da informação, indústria têxtil, construção civil, veterinária, criação animal, nanoarte e SST.


Considerações a serem feitas
Dentre as considerações a serem feitas, a pesquisadora comentou na sua apresentação que as nanotecnologias e os nanomateriais estão trazendo novos desafios para a compreensão e a gestão dos riscos potenciais à saúde e segurança dos trabalhadores e ao meio ambiente. É necessária uma abordagem com ideias mais abrangentes, por parte dos profissionais da área de saúde, segurança ocupacional e meio ambiente, dos tomadores de decisão, dos pesquisadores, dos empregadores e dos empregados, para evitar os mesmos erros que foram cometidos no passado. Além disso, não dá ainda para avaliar todo o impacto destas nanotecnologias no emprego e, inclusive, nas relações sociais. Já estão disponíveis mecanismos cada vez mais eficientes de controle do trabalho. Várias ocupações serão ser extintas e outras, que irão requerer muito mais qualificação, serão criadas.

 

Assim, o desenvolvimento destas tecnologias possui, portanto, questões éticas, legais e sociais importantes com respeito ao direito à privacidade, ao princípio da informação consentida e aos impactos nas relações de trabalho, emprego, questões sociais e ambientais. Há necessidade urgente em regulamentação na área levando em conta o princípio da precaução.

 

Dra. Arline citou ainda que, investimentos em pesquisa de novos materiais em nanotecnologia são cerca de 100 a 1000 vezes maiores (dependendo do país) do que os estudos sobre os impactos à saúde e meio ambiente.


Finalmente, a especialista concluiu que tecnologias devem ser ampliadas para toda a sociedade, deve ser feita com ampla participação de todas as áreas do saber. Especialmente, os trabalhadores, que são os primeiro a terem contato com estes novos materiais. Eles têm o DIREITO DE SABER que estão trabalhando com estas novas tecnologias e os cuidados adicionais que devem existir para que não venham a se adoentar ou sofrer um acidente.


Vídeos relacionados citados pela palestrante:


Ciência cria matéria invisivel [meta-materials]
Invisibility Breakthrough for Japanese Researchers
Shape Memory Alloy
Multiple Memory Metal
The Next Generation of Memory Metal Eyewear
ExOne Metal Printing Process

Voltar para Informes Técnicos